Download!Download Point responsive WP Theme for FREE!

Traço de Argamassa: 3 Pontos de Atenção para Escolha na Sua Obra

Se você já tocou obras pequenas, provavelmente delegou a dosagem do traço das argamassas para o pedreiro ou mestre de obras, confiando na experiência prática desses profissionais. Conforme as obras aumentam de tamanho, a responsabilidade da escolha dos materiais também cresce. A opção mais comum dentro dos grandes canteiros é apelar para as argamassas industrializadas que garantem a quantidade correta de cada componente (também chamado de traço).

Temos 2 principais tipos de argamassas:

  • Argamassas Prontas ou Industrializadas: Necessitam apenas do acréscimo de água e podem ser ensacadas ou fornecidas em silos.
  • Argamassas Dosadas em Obra:

       – Comuns (Cimento, Cal Hidratada e Areia): São as argamassas comuns de obra.

       – Argamassas com aditivos: São derivações das argamassas comuns acrescidas de aditivos para melhora de desempenho ou redução de algum dos componentes.

Nesse artigo vamos falar sobre as argamassas dosadas em obra. Essas argamassas tem várias funções numa obra de construção civil, como:

  • Revestimento de vedações, com as camadas de chapisco, emboço e reboco;
  • Assentamento de blocos de concreto ou cerâmico;
  • Encunhamento das últimas fiadas de bloco;
  • Nivelamento de superfícies pelo contrapiso;
  • Preenchimento de vazios e ajustes como rasgos na parede;

Técnicas erradas são as maiores fontes de patologias em obra. No Brasil não existem regras formais sobre os traços de argamassa e assim fica difícil fazer a escolha ideal. Isso, somado ao fato que muitas vezes o responsável pela escolha não tem conhecimento técnico para tal, gera problemas como fissuração do reboco, esfarelamento, desplacamento de camadas de revestimento e baixa aderência às superfícies, etc.

Para contornar esses problemas, separamos 3 pontos principais de atenção que um responsável técnico deve se atentar durante a dosagem e aplicação de argamassas:

  • Componentes
  • Tipos de uso e dosagem
  • Qualidade de fontes de informação

1) Componentes

A dosagem das argamassas são sempre referenciadas com relação aos volumes de seus componentes materiais cimento : cal : areia. Vale aqui uma breve explicação e dicas sobre cada um deles:

  •  Cimento: exerce papel importante na aderência, na resistência mecânica da parede e na estanqueidade à água das juntas.

      Dica: Evite a utilização de cimentos de alto forno (CP III) ou pozolânico (CP IV). Devido à grande presença de escória de alto forno e de material pozolânico, a argamassa poderá ter elevada retração (provocando trincas) caso não haja adequada hidratação do aglomerante.

  • Cal Hidratada: seu poder de retenção de água propicia maior potencial de acomodar movimentações, ela deixa a argamassa menos sucetível às fissuras ao custo de diminuir a resistência.
  • Aditivos: A cal vem perdendo espaço para aditivos que além de cumprir sua função geram maior economia e eficiência no canteiro. Por esse motivo, citaremos alguns exemplos de aditivos, também é importante frisar que existem muitas outras opções de aditivos no mercado. O site Casa D’água é um bom local para achar outros aditivos comuns no mercado.
  • Areia: As argamassas em geral devem utilizar areia lavada média (módulo de finura em torno de 2 a 3).

      Exceções: Para reboco utilizar areia peneirada. Para chapisco podemos utilizar também a areia lavada grossa.

      Dica: Tome cuidado com areias com excesso de finos (muito pó), eles podem prejudicar o desempenho argamassa.

  • Água: Essa é a parte mais “complexa” da argamassa. Nas argamassas comuns o volume de água utilizado será em torno de 20% do volume dos demais materiais.

       Dica: Não acrescente toda a água de uma vez, deixe uma parte para o final e acrescente aos poucos até atingir a trabalhabilidade necessária.

2) Tipos de uso para argamassa e traço

De modo geral, as argamassas devem ser dosadas na proporção volumétrica de 1:3 a 1:4, sendo aglomerante (cimento+cal) e agregado respectivamente. Veja alguns exemplos práticos de dosagem para usos específicos:

Dica: Um saco de cimento de 50kg tem aproximadamente 36L, se o traço esta sendo trabalhado em latas (18L cada), um saco equivale a duas latas de cimento.

2.1)Argamassa para assentamento:

  •  Alvenaria de vedação:

      – Comum para Bloco de concreto: 1 : 0,5 : 6.

      – Comum para Bloco Cerâmico: 1 : 2 : 9 a 12.

      – Com Vedalit: 1:8 (cimento:areia), 100mL de aditivo para 50kg de cimento ou 50mL para cada lata de cimento.

      – Com Alvenarit: 1:8 (cimento:areia), 200mL de aditivo para 50kg de cimento ou 100mL para cada lata de cimento.

      – Com BotaMIX Alvenaria: 1:8, 200 a 250mL de aditivo para 50kg de cimento ou 100 a 125mL para cada lata de cimento.

      – Com Argaplast: 1:8 a 9, 100 a 250mL de aditivo para 50kg de cimento ou 50 a 125mL para cada lata de cimento.

      Dica: Nas dosagens com intervalo, “1:2:9 a 12”, por exemplo, o traço pode escolhido de acordo com a qualidade da areia. Na dúvida utilize a menor, 1:2:9.

  • Argamassa para complementação da alvenaria (encunhamento):

      – Comum: 1 : 3 : 12 a 15.

      – Com Expansor: 1:3, sendo a proporção em massa de aditivo igual a 1% da massa de cimento, ou seja, 250g para cada lata de cimento.

      – Com ViaMIX Expansivo: 1:3, sendo a proporção em massa de aditivo igual a 0,75% da massa de cimento, ou seja, 190g para cada lata de cimento.

  • Alvenaria de estrutural:

Exige estudo mais profundo do tema, avaliando as resistências ao carregamento e deve ser especificada no projeto estrutural. Abaixo temos uma tabela com exemplo de possíveis traços de argamassa:

Traços A. Estrutural

2.2)Argamassa para revestimento de paredes e tetos:

Caso a superfície a revestir esteja muito seca e possa absorver grande quantidade de água é recomendável umedecê-la antes.

  • Chapisco: Utilizar cimentos tipo CP-I ou CP-II e areia grossa, com traço 1:3
  • Emboço:1 : 2 : 8. Camada de 1 a 2,5cm.
  • Reboco: 1 : 2 : 9. Devemos trabalhar como a camada em torno de 1cm.
  • Emboço e Reboco:

      – Com Vedalit: 1 : 6, sendo 100mL de aditivo para 50kg de cimento ou 50mL para cada lata de cimento.

      – Com Alvenarit: 1 : 6, sendo 200mL de aditivo para 50kg de cimento ou 100mL para cada lata de cimento.

      – Com Sikanol AlvenariaInterno 1:8,Externo 1:6, 100 a 300mL de aditivo para 50kg de cimento ou 50 a 150mL para cada lata de cimento.

      – Com Bautech Plast CInterno 1:8,Externo 1:6, 100mL de aditivo para 50kg de cimento ou 50mL para cada lata de cimento.

      – Com BotaMIX Alvenaria: Interno 1:8,Externo 1:6, 200 a 250mL de aditivo para 50kg de cimento ou 100 a 125mL para cada lata de cimento.

      – Com Argaplast: Interno 1:8 a 9, Externo 1:6, 100 a 250mL de aditivo para 50kg de cimento ou 50 a 125mL para cada lata de cimento.

2.3)Argamassa de Nivelamento:

  • Contrapiso:1:3 (cimento:areia), espessura em torno de 2,5 cm.

Tabela de Traço

3 Qualidade da informação

Como já comentamos, não existe uma norma, como as da ABNT, que determine os traços das argamassas. Na internet encontramos muitas tabelas de traço que não podemos classificar como confiáveis por falta de fonte de qualidade. Por isso, nesse artigo, utilizamos literaturas de referências científicas no país, abaixo seguem os links para acessá-las:

  • No caso dos aditivos, o próprio fabricante fornece folhetos com traço específico para cada uso e orientações extras.

 

Esperamos que você tenha sucesso na aplicação desses traços e que o desempenho final seja satisfatório.

Depois volte aqui e compartilhe suas experiências !

Até a próxima!

5 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.