Download!Download Point responsive WP Theme for FREE!

Como escolher o rejunte certo do seu piso e azulejo de uma vez por todas!

01-como-escolher-rejunte

Quando você chega na etapa de escolha de revestimentos de uma obra nova ou reforma, todo mundo adora palpitar em quais placas cerâmicas colocar. Hoje as casas de materiais de construção tem uma variedade gigante de placas, azulejos e porcelanatos com preços bastante competitivos. Mas todo mundo se esquece de escolher dois itens fundamentais para a qualidade final do revestimento:

Com o artigo de hoje, você nunca mais terá insegurança ou dúvida ao comprar o rejunte perfeito para sua obra porque vamos mostrar todas as dicas e macetes para você não perder os cabelos com descolamento, fungos, mofo, assentamento mal executado!

Vamos te explicar pra que serve e quais tipo de rejunte existem. É muito comum engenheiros experientes se esquecerem dos 3 tipos de rejunte e decidir com o palpite do vendedor da loja de pisos. Como essa decisão tem impacto muito grande na qualidade final do seu piso ou parede revestida, tome nota para acertar o rejunte da sua obra!

Pra que serve o rejunte?

O rejunte tem várias funções nos revestimentos cerâmicos.  Ele é um material que, além de auxiliar no desempenho estético do piso ou azulejo, preenche as juntas entre cada placa, garantido a regularidade superficial. Essa capacidade de vedar o revestimento, garante a estanqueidade, isto é, evita a penetração de água e umidade nas juntas e promovendo mais salubridade no acabamento.

Como o rejunte é um composto mais maleável que a cerâmica ou porcelanato, sua maior resiliência proporciona alívio de tensões do pano revestido. Essa capacidade facilitar a troca de placas cerâmicas, quando uma manutenção for necessária, seja para trocar peças quebradas ou dar manutenção nas instalações hidráulicas.

O rejunte também é utilizado para compensar as irregularidades dimensionais das placas, facilitando o alinhamento. Ou então, se o seu azulejista ou assentador de piso não caprichar em algum cantinho, o rejunte disfarça essa falha (leia nossas dicas e segredos de como assentar piso cerâmico e porcelanatos). É claro que ele não faz milagre com serviço mal feito ou placas muito tortas, mas ele quebra vários galhos no assentamento.

Tipos de massa de rejunte e local de aplicação indicado

02-aplicacao-de-rejunte-ceramica

Sendo bem direto e prático, temos 3 principais tipos de massa de rejunte disponíveis para comprar:

  • Rejunte Cimentício: Sua composição é cimento + agregados minerais (nome bonito para areia fina) + pigmentos (para atingir a tonalidade do seu piso) + aditivos e polímeros (que variam conforme o tipo de exposição que o revestimento terá).
  • Rejunte Acrílico: Composto por uma resina acrílica (de onde vem o nome), cimento (sim, ele também tem cimento!), agregados minerais (olha a areia de novo), pigmentos (você já sabe porquê), aditivos e polímeros.
  • Rejunte Epóxi: É um produto bicomponente de resina epóxi (em várias cores), e catalisador (que provoca o endurecimento da massa).

Okay… mas ainda não explicamos como escolher o rejunte…

Vamos ao primeiro critério: Cor. Como escolher a cor do rejunte? A maioria das pessoas escolhe um tom próximo das placas cerâmicas para provocar a sensação de continuidade. Mas isso não é uma regra, muita gente porca prefere rejuntes em tons escuros porque “esconde” a sujeira. Também há quem prefira cores em contraste das placas para formar a arquitetura do espaço. Logo, não há regras para esse critério.

Segundo critério: local de aplicação. Todos possuem praticamente os mesmos usos: interior e exterior para pisos e paredes em condições normais de uso, tais como banheiros, cozinhas, lavanderias… Assim, sua escolha é quase exclusivamente de acordo com os últimos critérios.

Tamanho da junta: esse é um critério relevante para a escolha! Os rejuntes cimentícios são indicados para juntas maiores, trabalhe com o intervalo entre 3 e 10mm para facilitar sua aplicação. Para juntas menores, recomenda-se usar rejunte acrílico ou epóxi.

Há diferença de acabamento então? É claro que há. O rejunte cimentício é o mais barato e o que dá menor acabamento, isto é, ele é mais rugoso e áspero. Já o acrílico, um pouco mais caro, é mais liso. Você já deve imaginar, então, que o Epóxi é o mais caro e que dá o acabamento mais perfeito!

Vale comentar que o rejunte de epóxi precisa de uma mão de obra que tenha experiência de aplicação. Erros não são reparáveis, se o serviço apresentar rebarbas ou ficar esteticamente ruim, será necessário trocar as placas da região afetada.

Veja o esquema abaixo que a gente fez pra te ajudar a escolher seu rejunte:

Dicas e macetes

  • Uma dica preciosa é: leia as informações fornecidas pelo fabricante do piso e do rejunte. Lá você vai encontrar orientações quanto ao rejunte mais adequado para seu revestimento. Isso também é importante quando pensamos na garantia que o fabricante oferece, ela é condicionada aos procedimentos da orientação;
  • Os rejuntes acrílico e epóxi podem ser usados em juntas maiores. Mas, se compararmos o custo do rejunte ao custo das peças que utilizam juntas grandes veremos que a prática não é aconselhável.
  • No box de banheiros e locais que recebem água diariamente o rejunte cimentício deve ser escolhido com cuidado. Se for comprado um rejunte de baixa qualidade ou que não tenha aditivo que o torne resistente à formação de fungos, você provavelmente terá problemas desse tipo;
  • Use exatamente a quantidade de água indicada pelo fabricante quando for preparar a massa, se não o feitiço vira contra o feiticeiro. Se você diluir demais o rejunte, ele vai retrair e, ao invés de vedar, poderá trincar ou formar sulcos que juntam sujeira e enroscam o sapato, diminuindo a qualidade final do acabamento;
  • Casos mais específicos, como piscinas e pisos sujeitos ao ataque de agentes químicos, exigem rejuntes especiais e devem ser estudados com maior critério;
  • Verifique sempre o caimento para os ralos, é importante que não haja empoçamento nessa região. Se possível, planeje o revestimento previamente com o pedreiro, isso pode evitar perda de material e tempo.
  • Tome sempre cuidado protegendo as peças antes da aplicação do rejunte e limpe assim que finalizar a aplicação para não deixar o rejunte endurecer na superfície das placas.

Fala sério! Agora, querendo ou não, você ficou especialista em rejunte, né!?

Que tal deixar um cometário para incentivar esse nobres três engenheiros que gastam horas pra estudar e preparar esse conteúdo da mais alta qualidade técnica pra você? Larga a mão de ser preguiçoso e valorize nosso trabalho se você gostou! Se não gostou, divulga mesmo assim!

Até a próxima!

 

25 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.